Juiz destaca responsabilidades da prefeitura no aumento da violência

“Não adianta construir casa para o povo que vem e não construir escola, não melhorar o trânsito, não melhorar a polícia. Construa pelo menos um hospital que sirva”, destaca Zupo.

Aracely e Jeová

Não é só de responsabilidade das entidades de segurança pública o aumento da criminalidade em Araxá. De acordo com o juiz criminal, Renato Zupo, o município não se preparou para o fluxo migratório e, consequentemente, o rápido crescimento do número de habitantes no município. O magistrado fez duras criticas a gestão da Polícia Militar, destacou a falta de policiamento na cidade e cobrou também da Prefeitura de Araxá ações de combate a violência no município.

“A culpa não é só da Polícia Militar. Conversei com os dois últimos prefeitos, Jeová e Aracely. Pedi para eles uma guarda municipal para desafogar a PM. Mas, não sai do papel. Quando construíram casas populares, no Governo Jeová, eu disse que não adiantava casas onde não tem hospital, escola, rua e estrutura. Não fizeram nada. Sugeri uma Casa de Acolhimento para receber pessoas de outros Estados que chegavam a cidade com cultura diferente. Mas, ninguém quis. Agora,  estamos enfrentando um problema muito sério, muito grave, com o aumento da criminalidade”, lembra o magistrado.

Segundo Zupo, a estrutura pública do município já não atende o número de habitantes e com isso a segurança pública piorou muito nos últimos meses. “Mudei para a cidade em 2005 e éramos 80 mil habitantes. Passados 11 anos, somos 120 mil habitantes. Tudo isso, graças as casas populares  e o fluxo migratório. Mas, não adianta construir casa para o povo que vem e não construir escola, não melhorar o trânsito, não melhorar a polícia. Construa pelo menos um hospital que sirva e aumente o número de escolas. Assim (com a falta desses equipamentos públicos) você vai criando áreas desmilitarizada, áreas de ninguém, dominadas pelo tráfico e pela criminalidade.”

O juiz diz que segurança pública é uma responsabilidade de todos. “A Prefeitura precisa nós ajudar com a implantação do projeto Olho Vivo e a implantação da guarda municipal armada. A Lei Federal já permite. Eu já pedi para dois ou três prefeitos a implantação desse projeto para desonerar a Polícia Militar. Temos também a questão do Centro de Reeducação do Adolescente (Cerad). O Ministério Público ganhou uma ação que determina que Estado assuma o Cerad (atualmente administrado pela prefeitura), mas o governo não cumpriu a ordem judicial e o Tribunal de Justiça nada faz.  Agora, vamos entrar na fase de execução de sentença que prevê, dentre outras medidas, a responsabilização criminal e civil do governador Fernando Pimentel e o sequestro de bens do estado de Minas Gerais para custear a reforma e manutenção do Cerad em Araxá”, explica Zupo.

Autor: Saulo Aguiar

É jornalista, radialista e cooperativista. Formado em Comunicação Social, ganhou destaque com colunas opinativas e reportagens investigativas. Possui cursos na área de assessoria de comunicação, cooperativismo e gestão de projetos.

Compartilhe
468 ad

Comente

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *