Menores são condenados a 3 anos de detenção

Adolescentes de 17 anos confessaram participação no assassinato do casal Rafaela D`Luz e de Higor Humberto. Participação dos outros suspeitos do duplo latrocínio continua sendo investigado.

Rafaela_04

As investigações do crime de latrocínio do casal Rafaela D`Luz e de Higor Humberto, mortos com vários golpes de faca em sua residência localizada no bairro Belvedere em Araxá, na tarde do dia 23 de janeiro, durante um assalto a mão armada, está sendo desempenhada pela 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Araxá. O Delegado regional Dr. Cezar Felipe Colombari da Silva, que hoje chefia a regional de Araxá, coordena as investigações, que estão sendo realizadas pelos Delegado de Polícia Civil, Dr. Sandro Negrão, pelo inspetor Alisson Reis e os investigadores Mateus, Dioges, Rodrigo e Ana Paula.

A Policia Civil na quarta-feira, 27 de janeiro, após investigações conseguiu chegar nos adolescentes E.S.R e E.I.L.J, e os maiores que estão presos e continuam sendo investigados. O menores, ambos com 17 anos, confessaram a participação na morte do casal. Após oitivas e diligências, a autoridade policiais chegou a conclusão da participação dos adolescentes na empreitada criminosa, encaminhando então o procedimento relatado ao Ministério Público de Araxá, apontando, apontando o ato infracional análogo ao crime de duplo latrocínio. O Ministério Público ofereceu representação e requereu a internação provisória por quarenta e cinco dias, eis que os adolescentes já estavam internados por cinco dias.

A representação foi recebida e a internação foi decretada pelo Excelentíssimo Juiz de direito, Dr. Renato Zouain Zupo. Os representados (adolescentes) foram devidamente citados através dos responsáveis legais e intimados e compareceram em audiências de apresentação, onde os dois adolescentes foram ouvidos. Após audiência, os defensores apresentaram defesas e arrolaram testemunhas. Audiência de instrução ocorreu na tarde desta segunda-feira, 29 de fevereiro em Araxá.

O Excelentíssimo juiz de direito Dr. Renato Zouain Zupo, presidiu a audiência juntamente com o ministério público, representado pela promotora Dr. Mara Lucia Dourado e advogados de defesa, além da presença dos genitores dos menores. Após oitiva de testemunhas e diligências pleiteadas, o Ministério Público e defesa apresentaram alegações finais apresentando as razões e então foi prolatada sentença, sendo aplicado aos representados E.S. R e E.I.L.J, a medida socioeducativa de internação pelo prazo de três anos, com avaliação a cada seis meses.  Foi ainda determinado a busca de vaga em estabelecimento adequado para o cumprimento da medida, uma vez que o CERAD de Araxá não possui estrutura e condições suficientes para o cumprimento.  Os adolescentes permanecem apreendidos no CERAD até que consiga vaga em outro estabelecimento. Na imagem abaixo a pronuncia da sentença.

Em seus depoimentos os adolescentes confessam terem participado do crime, que a ideia inicial seria assaltar a casa do casal. O adolescente E.I.L.J disse que chegou tarde na residência do casal, porque acordou tarde e quando chegou o casal ainda se encontravam vivos e amarrados no chão. Já o adolescente E.S.R em seu depoimento, disse que foi convidado por outro dois indivíduos, que também se encontram presos, para fazer uma “fita”, um roubo, que ajudou a dominar a casal e amarrá-los, que em seguida roubou seus pertences e fugiu na companhia dos demais envolvidos. O dois negam qualquer participação nas autoria das facadas.

O que chamou atenção nas audiências, foi a forma fria em que os dois adolescentes relataram o crime, em muitas das vezes se preocupando com os destinos dos bens matérias que foram levados das vítimas, se encantando com a velocidade de 200 km pela estrada em fuga. Em momento algum os adolescentes demonstraram remorso, compaixão, arrependimento, piedade ou quaisquer outro sentimento em relação as vítimas, que eles ajudaram a matar de maneira fria, calculista, inconsequente e irresponsável. Os adolescentes que participaram deste crime, permaneceram apenas 3 anos em medida socioeducativa.

Fonte: Willian Tardelli

 

Autor: Saulo Aguiar

É jornalista, radialista e cooperativista. Formado em Comunicação Social, ganhou destaque com colunas opinativas e reportagens investigativas. Possui cursos na área de assessoria de comunicação, cooperativismo e gestão de projetos.

Compartilhe
468 ad

Comente

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *